Frases de Melina Coury

> Autores > Melina Coury



1 - 25 de 89 pensamentoss de Melina Coury

Duvida

Sois qual beijo?
que envolve assim,
tal malícia.

Melina Coury
http://souriresetlarmes.blog.fr/

Melina Coury

Interlúdio

Um só gorjeio,
que ressoa alento,
ao ouvido atento.

Melina Coury

London, England 28.04.2011

http://souriresetlarmes.blog.fr/

Melina Coury

Um verso escorre entre.linhas de minha lágrima ao teu sorriso

Melina Coury
http://souriresetlarmes.blog.fr

Melina Coury

Tem que haver poesia na mão de quem escreve
tanto quanto nos olhos de quem a lê

retirando a essência:

quem tem sede de poesia, ver(-)te poesia.

Melina Coury
http://souriresetlarmes.blog.fr

Melina Coury

Selinho nada!
eu quero a correspondência todinha!

Melina Coury
http://souriresetlarmes.blog.fr

Melina Coury

Para poesia do meu mundo,
apesar do oceano de distancia,
e da plenitude de tua ausência,
ainda é de teu rosto,
o sorriso que eu procuro.

Melina Coury
http://souriresetlarmes.blog.fr/

Melina Coury

"Tem que haver poesia na mão de quem escreve
tanto quanto nos olhos de quem a lê

retirando a essência:

quem tem sede de poesia, ver(-)te poesia."

Melina Coury
http://souriresetlarmes.blog.fr/

Melina Coury

A poesia só é bela se o que minha mão escreve fizer eco em seus olhos.

Melina Coury
http://souriresetlarmes.blog.fr

Melina Coury

À margem da língua

A língua
Come as palavras
Engole a fala.

Melina Coury

Melina Coury

Vermelho rápido

Pálida ar(r)anha
Púrpura, pinga pura
O co(r)po turva.

Melina Coury
http://souriresetlarmes.blog.fr/

Melina Coury

Ela tem a todos, um leque de autores e poetas, em minhas palavras eu só tenho a mim mesma, a voz passiva que não cobra, segura, as vezes, para não ser outra, cobra insegura.

Melina Coury
http://souriresetlarmes.blog.fr/

Melina Coury

Ensinando um anjo avoar

Freio o teu vôo em queda,
legislo e ajudo a burlar,
o que choca e incomoda,
faremos jogral deste jogo,
até que regras te agradem.

Assopro a tua lembrança,
e estalo em tua memória,
com asas a anja não cai!
- Paira, plana sobre nós.

De toda explicação decline,
evite do espelho, a quebra,
das feridas, poupe a pele,
faremos nós o nosso jogo.

Brinque com tuas palavras,
ame quanto mais subir alta,
carrega felicidade na face,
e que só te possa alcançar,
olhos de quem, te quer bem.

Melina Coury
http://souriresetlarmes.blog.fr/

Melina Coury

Eu gostaria de admitir que um dia eu soube, mas não sei...

Não eu não sei nada, uma vez houve um beijo,
e você se instalou de vez em mim,
por um curto período você me deixou divagar,
mas fui sozinha, mesmo devagar,
em busca de uma reciprocidade que não houve,
e ouvir era só o que eu queria,
recebi o silencio presente e a distancia desperta que se fez sentir.

Melina Coury
http://souriresetlarmes.blog.fr/

Melina Coury

Traduction de la bisous (ou baiser)

Quem dos lábios (a)prova
o beijo;

Não imagina na boca,
a língua;

Que o coração,
fala.

Melina Coury
http://souriresetlarmes.blog.fr/

Melina Coury

Le mot et ce qui la sépare - HaiKu - Hai Kai - 俳句

A palavra e o que a separa

O pra sempre,
descobre os dois papéis;
Ou nunca mais.

Melina Coury

http://souriresetlarmes.blog.fr/

Melina Coury

Éramos um amontoado de letras,
viramos palavras em grupo,
e ainda seremos uma só poesia.

Melina Coury
http://souriresetlarmes.blog.fr/

Melina Coury

Brilha! Eu sigo tua trilha...

Se tens encanto reconheço,
com alguma poesia veste,
palavras, põem o adereço,
rodam em ciranda bamba.

Junto sentimentos, espeço,
carinhos são descaminhos,
derreto e sei que enterneço,
traz brilho, completa a prosa.

Onde um eco fez endereço,
vida e poesia, um encontro,
(im)puro estado de transe,
trocando olhares, adormeço.

Ah... se deste sonho mereço,
Rogo, dai-me simples(mente!)
a atenção, sem desapreço,
por este verso sobrevivente.

Melina Coury
http://souriresetlarmes.blog.fr/

Melina Coury

Brinca que brinca comigo?
- Deixa de ser criança!
Com medo do brinquedo,
escrevo em rosa choque,
ou te choco,ou te encanto,
assopra de vez esta brasa,
reaviva a minha fogueira,
vai me leva pra inquisição,
venho aproveitar a estrofe,
saio por entre as palavras,
poesia de verso (in)verso,
eu versus você completa,
giro rápida em tua volta,
num insensato rodopio,
na profusão das letras,
entremeio em equilíbrio,
eu só paro no teu beijo,
teu balanço que avassala,
juízo quem diz que tenho?
insana vontade e desejo,
viajo em você equilibrada,
entregue já tens meu corpo,
nasce assim minha poesia.

Melina Coury

(é para tentar ler direto, até perder o fôlego...)
Mel
http://souriresetlarmes.blog.fr/

Melina Coury

Ao (ex)vazio do cálice

Ao ver o azul dos olhos todavia,
orvalhados claros na lembrança,
ao teu passar seguro disfarçam,
nas palavras, o ritmo da dança.

Em seu cale-se não há vinho,
é amarga a falta da palavra,
imprópria, seca a garganta,
sevícias, no próprio co(r)po.

Apenas na vontade sorrateira,
onde fantasia corre às soltas,
com sonho febril de desejos,
no sono ofegante de delírios,
ei-la por fim, palavra desejada.

Completada a senda, achei-a!
é então liberta, a palavra presa,
deixada ao léu, já sai gingando,
deriva ao devaneio, mescla-se,
ao meu grito mudo teu silencio.

Melina Coury
http://souriresetlarmes.blog.fr/

Melina Coury

Mia luna

"é custódia de plumas e lâminas;
da lágrima doce;
da carícia do açoite."

Melina Coury

Melina Coury

Incêndios transparecem

Visto à sombra,
o fogo, dos sentidos,
são teus olhos.

Melina Coury
http://souriresetlarmes.blog.fr/

Melina Coury

Sem pegada(s)

Quem sabe sair,
não pisa nas cinzas,
dos sentimentos.

Melina Coury
http://souriresetlarmes.blog.fr/

Melina Coury

Sem apelos (sans appels)

E precisei de teu olhar de ser tristonho,
com mãos de poeta, escrever-te lenta,
para pretensiosa completar-te os olhos.

Pausadamente percorrer teu nome,
buscar seu tom suave, sem apelos,
perfume inconfundível, a cada letra.

Menina que se de fato existe, não se sabe,
nem se poderá de novo, ser tocada,
a passagem que em si não tem regresso,
quantas lembranças mortas (ainda vivem).

Janaús, purpurinas, lantejoulas reticentes,
pouco faz, refletem o oco da ilusão, poesia,
imagem penetrando espelho entristecido,
caindo implícita, ao chão, em mil pedaços.

Melina Coury
http://souriresetlarmes.blog.fr/

Melina Coury

O feitio do feitiço (ou A forma do encanto)

E se finjo ser (c)alada,
neste mo(vi)mento sonho,
o cantar (im)par das asas,
(s)em cadência à fantasia,
in(vento) vazio, crio espaço,
projeto sombra e de(colo),
em busca do ser (tr)amado,
tecido em devaneio (alvo),
re(tomar) viver a grandeza,
de me(nina) à mulher plena.

Melina Coury
http://souriresetlarmes.blog.fr/

Melina Coury

A poesia ideal,
é a que na imagem toda,
torna-se detalhe,
no crepúsculo ainda é brilho,
apenas ponto de luz no horizonte.

Melina Coury
http://souriresetlarmes.blog.fr/

Melina Coury


Contato Politica de Privacidade Datas Comemorativas Facebook Twitter Google+