Frases de Ana Neto

> Autores > Ana Neto



Encontradoss 10 pensamentoss de Ana Neto

Aos jovens do meu país

Muito para além de mim, das minhas capacidades,
tu tens uma sabedoria que eu não tenho,
tens uma visão que eu não alcanço.

Tens as mãos macias e dóceis para mimar
tens um olhar ameno tecido de esperança
tens no coração, apenas espaço para amares.

Eu, já sou adulta,
poluí o ambiente, destruí a paisagem, roubei territórios,
conquistei estátuas e direito a ver o meu nome atribuído a uma praça...
Guardei ódios, rancores, invejas...
Mas sempre o neguei!

Eu, crescida,
extingui animais e plantas...
abracei a ciência e fiz dela o meu maior Amor.
Perdi-me na razão e na inteligência, de tanto a usar
(ou achar que sim)!
Tanto quis ser perfeita que me esqueci de ser Humana.

Criei para ti um mundo sujo, podre,
onde tudo já está gasto pelos excessos que cometi.
Eu quis dar-te tudo e, hoje, tudo quanto me pedes,
é o direito a nada teres,
precisamente porque a única coisa que sabes,
é que é o Amor que dá sentido à vida,
e não a existência tosca que herdaste do mundo que te deixei.

Se não fosses tu,
o mundo das pessoas crescidas não seria tão bonito.

Ana Neto

Mesmo que esteja uma chuva torrencial...daquelas de temer, saio de casa desprotegida e acredito que com tanto espaço para cairem os raios, não será em cima da minha pequenez de gente certamente!

Ana Neto

Nós

Mal te conheço.
Verdade se diga,
nem sei o teu nome!!!
Mas só por saber
que és igual a mim,
que tens os mesmos sonhos
e os mesmos pesadelos,
que tens os mesmos medos
e as mesmas vergonhas,
que tens pela vida
a mesma paixão que eu...
Que o sol que te ilumina
é também o meu...
Estendo-te a minha mão
e peço-te:
Anda, vem depressa
ser meu amigo,
antes que o sol se ponha
e volte de novo a vergonha
que há em ti...e em mim!

Ana Neto

Não há nenhum ser humano que não tenha por um momento,
desejado colocar uma máscara e vestir um personagem que não é.
E, ainda que não tenha colocado a máscara, desejando-o...
já mentiu para o seu próprio coração!
Ninguém é imune aos sonhos!

Ana Neto

Problemas ... são um jeito que a Vida tem de nos mandar seguir em frente, de erguer a cabeça e a moral, de nos provar que as rosas também têm espinhos e que não perdem o seu estatuto da flor mais apreciada do mundo.

Ana Neto

Recordações,
são formas que a alma encontra de renunciar o Adeus...
de manter presentes as nostalgias do passado,
permitindo a ilusão da proximidade dos motivos que fecundaram a saudade!

Ana Neto

Quero compreender até o incompreensível, para isso me deram a RAZÂO!

Mas se a uso apenas para me defender de quem acha que a razão não é minha, (dado que nestas alturas não compreendo as Razões alheias) porque me chamam «RACIONAL»?

Ana Neto

Quem tem alma de criança

Quem tem alma de criança
dá a mão a toda a gente e ainda bem
não pensa em cores nem em religiões nem em distâncias.
Pensa apenas:«GANHEI UM AMIGO»!
E entende-se e ri...porque o outro também ri.
Pega numa flor silvestre e oferece-a
como se fosse o seu maior tesouro!
E recebe-a e olha para ela
vendo ali uma rosa vermelha;
e esquece-se do tempo
quando presta atenção a alguém como ela...
e falam de coisas, de nada e de tudo
ou simplesmente nem falam!
E é mesmo isso o importante! Só isso!
Quem tem alma de criança
senta-se num qualquer banco de jardim
com um qualquer homem que estava só
e fala dos seus sonhos
e até discute o que não sabe sobre futebol
e coloca estrelas nos olhos do amigo
e leva no rosto as cores de um arco-íris
e repara nos rostos tristes e fica triste também!
Quem tem alma de criança
faz festinhas no pêlo de um animal sujo da rua
e diz-lhe «És tão lindo!!!»
e quer levá-lo para casa e dar-lhe um banho
e pôr-lhe um perfume;
quem tem alma de criança
não liga a certos pormenores
é feliz...
e tem essa capacidade tão simples,
de fazer feliz também
e pronto!

Ana Neto

Bem depressa que se faz tarde na vida!


Num dia como qualquer outro,
como milhares e milhares de outros que já vivemos antes,
olhamos para o espelho ao acordar e encontramos ali um outro
um outro que nunca ousámos enfrentar antes!

Ali assim sem mais nem menos,
vindo sabe-se lá de onde,
vemos o rosto de alguém que se parece com uma árvore de Inverno
de folhas ausentes, perdidas de si,
despida de cores, de flores, de odores,
despovoada de borboletas e de aves coloridas a cantar.
E assustamo-nos! E queremos não temer!

Viajamos pelos pensamentos, pelas histórias, pelos planos,
revivemos rapidamente tudo o que empreendemos na vida que já vivemos,
parece-nos um drama, com algumas peripécias cómicas...
pintalgado aqui e ali de humor negro
pincelado de raras cenas de romance!
Ajustamo-nos um pouco mais
fechamos os olhos para não ler a nossa alma
e acreditar que fomos o que fomos...
Nós não queríamos nada daquilo!
Porque acordámos? Porque tivémos de acordar assim...indispostos?
Preferíamos ter ficado adormecidos mais uns tempos...viver isto num pesadelo....
queríamos passar o filme em frente... ou para trás....
Queríamos ser embalados por um sonho onde se herdam fortalezas e se fazem proezas...
Está o despertador a tocar!

Passámos a detestar-nos! Jogamos as mãos à cabeça
Sentamo-nos num dos tantos lugares desocupados da casa
um lugar igual à nossa alma!
Vazia!
Queremos chorar... mas não há tempo para isso!!!
Ah, se não tivéssemos que sentir este abismo da nossa desesperança...

Há que ser alegre, mesmo sem ser feliz...
falamos alto e em tom de perdição
pois não há ninguém para nos escutar.
Bastava a sombra de alguém e já não nos sentiríamos assim
com o sangue a fervilhar em veias geladas!

Faz-se tarde para construir castelos
ou até mesmo para caminhar em busca de um.
Agora, até mesmo a imagem de um chega esbranquiçada aos nossos olhos.
Parece estar nevoeiro... estará?
Deve estar... não se vê bem....

Que cansados... desgastados... de viver as ilusões de uma vida!
Há que agir depressa...bem depressa que se faz tarde!
Vamos... vamos parar o tempo por uns tempos,
vamos inventar depressa uma alma de poeta!
Vamos dizer o que sentimos a toda a gente...alguém vai parar para nos ouvir.
Há-de haver alguém que nos queira escutar....
que aprecie ouvir as nossas histórias...
que em nós vá acreditar!

Vamos... depressa cantar as melodias que sempre calámos
recitar poemas aos ouvidos de quem amámos
mesmo que nunca tenhamos amado ninguém....
fazemos de conta pelo menos!
Vamos, é a hora da coragem... do perdão...da pressa de viver....
é hora e pronto!

Os valores?... A etiqueta?... Os princípios?.... Os tabus?.... A cultura?.....
Queremos lá saber disso
o rio está a correr para o mar
já se avista a foz....
agora, só temos de remar
contra a maré... mas remar...

Os cabelos estão desarrumados?
As vestes descombinadas?
Mas que nos interessa isso agora?

Queremos mesmo é ser felizes
e bem depressa que se faz tarde.

Ana Neto

Porque nos dizemos «ÚNICOS» e passamos a vida a tentar imitar-nos nas atitudes só porque não queremos ser diferentes?

Ana Neto


Contato Politica de Privacidade Datas Comemorativas Facebook Twitter Google+