Clarice Lispector: '-...E eis que não entendo o ovo. Só entendo o o



'-...E eis que não entendo o ovo. Só entendo o ovo quebrado: quebro-o na frigideira. É deste modo indireto que me ofereço à existência do ovo: meu sacrifício é reduzir-me à minha própria vida pessoal. Fiz do meu prazer e da minha dor o meu destino disfarçado. E ter apenas a própria vida é, para quem viu o ovo, um sacrifício. Como aqueles que, no convento, varrem o chão e lavam a roupa, servindo sem a glória de função maior, meu trabalho é o de viver os meus prazeres e as minhas dores. É necessário que eu tenha a modéstia de viver..."

[O ovo e a galinha - Clarice Lispector]

Clarice Lispector

Contato Politica de Privacidade Datas Comemorativas Facebook Twitter Google+