Fernando Pessoa: Quero ignorado, e calmo Por ignorado, e próprio P


pensamento

Quero ignorado, e calmo
Por ignorado, e próprio
Por calmo, encher meus dias
De não querer mais deles.
Aos que a riqueza toca
O ouro irrita a pele.
Aos que a fama bafeja
Embacia-se a vida.
Aos que a felicidade
É sol, virá a noite.
Mas ao que nada espera
Tudo que vem é grato.

Fernando Pessoa

Contato Politica de Privacidade Datas Comemorativas Facebook Twitter Google+