Frases de Adroaldo Bauer

> Autores > Adroaldo Bauer



Encontradoss 14 pensamentoss de Adroaldo Bauer

O mesmo em muda - 55

Sou o mesmo em muda perene
O velho a cada novo momento
A existência inconformada
A constância transformada
Amor da esperança alimento

Sou igual ao que se renova
Fatal como o devir comprova
O passado refletido adiante
O presente em vir a ser constante
A terna mutação em vida

Não ambicionem nexo à frente
Que loucos rompemos cadeias
Sem que nos encantem sereias
Espectros inflamando mudanças
A semeadura em florada não tarda

Ah! Maniqueísta! Superficial!
Quem explora, discrimina, exclui...
Amolga os de baixo
mefistofélica miríade multifacética
Não é só o mal. É todo o mal.

Exploração: pecado do capital
Inconfundível, incontornável:
Monopólica escarnecente colheita
A melindrosa carne em putrefação
...
A terra regada assim por amor
Nos dará saudáveis frutos, afinal.

Adroaldo Bauer

Sempre te amarei... Sempre vais me amar.



[Sonhei com um novo amor]



Reabri meu coração

Dei flores, fiz canção.



Entreguei-te a minha alma

Foi com ela minha calma



[Sou de novo só um louco!]



Esse amor chegou depois

De nossas vidas a dois

Estarem comprometidas



Não me negaste carinho

Só me pedistes baixinho

- entenda meu coração... foi preso pela razão.



Nem sequer ainda nos vimos

E do amor nos despedimos

Já assim sem emoção... amor



Não és mais livre querida

É pecado e proibido

É um outro amor banido



Vou sofrer e tu também

Não posso voltar atrás

Não se vive uma vez mais



Renascer não é possível

Mas queria um'outra vida

Uma chance ao nosso amor



Sempre vais me amar... Sempre te amarei

Sempre te amarei... Sempre vais me amar

Adroaldo Bauer

"que amigo teu eu seria..."
Ela me sorri,
meu sorriso não retorna
há de ser de mim o que
que não mais a percebo
nem se se refira ela a mim
Definiu-se-me como a dor
Estou vivo, o coração dói
Eu a amo e é isso só
que nada importa.
Faz penar
Diz que se refere a mim.
Indiferença seria ainda pior.
Muito, muita vez mais.

Nem trocamos apenas olhares
e já somos os mais fiéis amigos.
E por que, então, sinto dor
pela amizade da mulher que amo?

Adroaldo Bauer

Remédio para frio na alma.

Pra um tanto frio assim na alma, cobertor algum adianta.
Importa mais se o esqueça. Não aquenta.
Melhor se invente novo amor já, calor assegurado, mais perfeito,
Conforto do coração, sanidade da cabeça.
Melhor remédio inexiste, nem se fica mais um tempo triste.
Amar é um estado quase de graça.
Desamor que aconteça, o remédio é novo amor.
Não é mero placebo. É fato provado, abismado percebo.

20. 07.2008

Adroaldo Bauer

Ainda semi-aberta
sai-me da alma
em fluxo, reta
no teu encalço
toda energia
que tua aura
em mim desata

Adroaldo Bauer

Deste lado do umbral, ainda...

Estas cores fortes as vi à frente,
um infindo horizonte ao norte
mas voava, não sentia os pés
nem tapetes haviam
que eram nuvens de escuro azul,
de azuis-claros de azuis pastéis, de cruéis azuis
pedi um beijo à amada, já bêbado em anestésico
para atravessar em paz o umbral sem dores
negou-me, astuta solerte, até risonha
repeti que seria assim feliz demais
ela sorriu inda mais, disse-me para ficar
feliz junto a ela e tudo eram rosas já
E mais e mais amores, quiçá


Adroaldo Bauer Corrêa
No décimo-segundo dia após.

Adroaldo Bauer

Mil beijos

Afogado em beijos
A mil o coração
O rosto afogueado
Leio, desejo vê-la.
Quiçá, amá-la.
Êpa! Alto lá!
É que já a amo
apenas por tê-la assim.


Mil beijos, onde os queira sentir.
E não aceito que a nada te obrigues

Adroaldo Bauer

Por ti, não morri

Escarlate, ouro e rubi
o riso aberto um tesouro
Meu coração inda estropiado
Te ergue uma taça rubra
em honra, glórias e elegias
a teus poemas, à tua poesia
És tu por quem revivi

Adroaldo Bauer

Embriagado

O teu cabelo liso lindo assim preso erguido
a nuca exposta, nua, alva e bela, deixa-me
a pensar que bom seria beijá-la com vagar.

Isso não é alucinação, nada mais possível que tal.
Se o prendes, assim fatal, alvejado fico,
e não há mal falar de bem.

Nem lugar outro melhor que esse mundo há,
para dizer assim te amo mais, tanto me atrais

Estou a pensar se teu perfume é sempre em ti,
como ficou em mim desde o beijo que te dei.
Terna és e embriagado fico eternamente.

Já aflito, não vejo hora de voltar a tê-la,
mesmo como àquela vez sonhada o seja,
que casual encontro torna em turbilhão.
Imensa e interminável é essa minha paixão!

Adroaldo Bauer

A paixão no poema

O poema faz o que o poeta não consegue
Da amada por quem ama sopra no ouvido
a poesia lembrado, esquecido, ido, sumido,
Dá o coração, a alma, o amor, a dor, a flor.

Adroaldo Bauer

Não foi em vão

As horas não mais passaram
O fogo intenso fruído derreteu o tempo
soprou cálido nossa paixão ao vento
que flechas voando trespassaram
o coração já varado da luz do momento

A vida não precisa mais sentido
era toda prenchida de ti
Eu me sonhava contigo dormindo
Eu acordava os meus sentidos
sabendo a perfumes teus

Dobraram-se os espaços e juntos
estamos desde aquela hora, única
uma hora sonhada, vivida de amor
à terra retornaram dos céus as águas
ao mar alto nossos fluídos lançados

De amar vivo estou, meu amor é contigo
já agora, desde aquele momento
nenhuma figura mais se eleva que tu
a imaginação me enleva e sublima
não há dor, temor, pena ou castigo

Crê! São as flores de abril que virão
É outono a luzir pós-verão
Um inverno feliz nos faz pressentir
as primeiras primaveras de amores
virão. Não mais terá sido em vão.

Adroaldo Bauer

A estrela se revela

É à noite que se revelam as estrelas outras

E não há nelas qualquer réstia de pecado

Uma invenção de pouco brilho de quem

Nos quis impor um único trilho

Se teus sentidos se deixam invadir

É porque sentes e consentes que o vôo

seja possível e transbordante de gozo

antevisto, pressuposto, adivinhado

pois já sentimos, ambos, o perfume teu

ele em mim por doces beijos aqui chegados

Sentistes os meus, que te enviei por um caminho de luz

Ou terei eu, por paixão, equivocado, perdido

O senso, vendo e ouvindo estrelas atordoado

Adroaldo Bauer

Adroaldo Bauer:
Os sons dos teus silêncios

Hei de ferir os nossos vários silêncios
Ainda que enclausurada estejas
A friagem do tempo te atormente
e fragileze a tua sofrida alma

Não estarás só, querida, amada
Velo por ti, onde eu esteja, onde estejas
Envio-te ondas efusivas de luz
Para um inverno breve tornado flores

As mais rubras rosas andaluzes
a florescer no verde dos teus olhos
não mais segredos, posto que me amas
Sendo fibra e ternura os sentimentos
de teus desejos, textura de amores

Adroaldo Bauer

-----
Tu, sim!

Agora estás mais em mim

A cada minuto mais inteira

Encantas, douras os tempos

Inigualável, sendo apenas tu

Que me desafia a cada passo

Inteira e íntegra, eu dizia

Dos melhores sentimentos em mim

Que era cacos e revivi

Sendo inspiração és tudo então

Porque o espaço se dobra

relativizando o tempo

é perene então meu encantamento

Primeira és, porque única

que não encontro jamais o futuro

E o passado dissipaste em mim

Sem dor qualquer, linda mulher

Que ilumina vívida e meiga

Sopro que és, dádiva à vida

-----
In Vino

Acordei com um gosto bom
do vinho, da tua boca em mim
ou era teu batom carmin
da cor igual, adivinho.

Lembrei que não esqueço de ti...

Adroaldo Bauer


Contato Politica de Privacidade Datas Comemorativas Facebook Twitter Google+